Chave mistica

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Previsão Semanal de 18 a 24-06-2018

Arcano IX - O Eremita

Os próximos dias vão receber a influência do Arcano IX- O Eremita. Esta lâmina fala-nos da introspeção, da reflexão, da necessidade de se fazerem algumas pausas para se conseguir interiorizar as vivencias, aprendizagens e desafios. Assim, será uma semana na qual não há grande ação, no entanto, é aconselhável manter o espírito aberto para as oportunidades que possam surgir.

Apesar de não ser uma semana particularmente agitada, podem surgir novas oportunidades. Por ser uma carta que nos remete à espera, o Eremita, pode trazer consigo novas propostas, neste sentido, é necessário mostrar alguma recetividade, evitando fechar-se em si próprio ignorando as chances que a vida lhe pode oferecer. A introspeção não deve desta forma, ser encarada como um distanciamento, uma alienação da realidade, pois a vida vai efetivamente continuar a acontecer à nossa volta, à medida em que vamos crescendo interiormente. 

A energia do Eremita relembra-nos a necessidade de dedicarmos algum tempo a nós próprios. Muitas vezes, ao longo das nossas vidas somos influenciados e até mesmo pressionados por terceiros. O Eremita fala-nos desta situação, aconselhando assim algum distanciamento e ponderação para que possa ser criada uma visão mais ampla das aprendizagens a assimilar. Costuma-se dizer “quem está de fora vê melhor”, e de fato é verdade. Quando vivenciamos determinada experiência, desenvolvemos pensamentos e sentimentos que se relacionam com esta, e estes, são sempre condicionados pela nossa personalidade, pelo ciclo de vida que atravessamos, pelos pensamentos e emoções (as nossas e as dos outros), pela postura que escolhemos assumir aquando da vivencia da situação.

Quando pedimos um conselho a um amigo, estamos sujeitos à própria opinião da pessoa, também ela condicionada pelas suas crenças, pensamentos, emoções e muitas vezes desejos. Nem sempre o ser humano tem a capacidade de ser imparcial, neste sentido, determinado “conselho” pode ser bastante tendencioso visando os interesses daquele que aconselhou. Com isto não se afirma, no entanto, que todas as pessoas que iremos conhecer nos vão manipular para que façamos o que elas desejam, até porque, muitas vezes não observamos uma “manipulação consciente”. A imparcialidade é uma capacidade que pode ser desenvolvida, no entanto, esta depende sempre, da moralidade de cada um pois é com base nessa mesma moral que iremos manifestar a nossa opinião, ela irá certamente ser concordante com os nossos princípios, não significando isto que resulte na melhor escolha para a outra pessoa, assim a melhor análise que podemos fazer é a nossa, através do adequado desapego e distanciamento poderemos adquirir a capacidade de realizar esta análise que no fundo é a mais importante a ser feita pois iremos, todos os dias das nossas vidas, lidar com as consequências das nossas próprias escolhas.

As respostas que necessitamos encontram-se dentro de nós próprios, aquela voz que vive cá dentro, a centelha divina que nos foi dada como o “guia de ajuda” e que muitas vezes temos dificuldade em escutar pois estamos formatados para as necessidades humanas, os desejos, as prisões, as crenças.
Esta voz interior é a sabedoria maior, aquela que vamos calando e camuflando enquanto nos tornamos homens e mulheres da sociedade. Essa voz é a verdadeira, aquela que tem a real capacidade de nos guiar, mas que muitas vezes é calada pelas próprias distrações da vida, que nos iludem a cada dia, desde o dia um, em que chegámos a este mundo.

Passamos a maior parte da vida em alienação. Desde o berço somos bombardeados com os mais diversos estímulos. Ao crescermos mais um pouco somos condicionados a normas e comportamentos sociais, dão-nos tarefas e objetivos, começamos o caminho da “educação”. Estudamos de forma obrigatória num sistema pouco flexível, durante, no mínimo 12 anos, depois podemos ou não optar por estudar mais. Inevitavelmente chega a vida laboral e socialmente são impostas as pressões, o casamento, os filhos, o sucesso profissional, o trabalho durante uma vida inteira… Todas estas características criam uma obrigatória alienação e muitas vezes uma desresponsabilização completa da nossa espiritualidade.
Quando acreditamos apenas em algo exterior a nós, estamos a retirar toda a capacidade de criação que possuímos. A fé, a crença é algo particular, muito individual, assim o objetivo não é de todo desprestigiar determinada conduta religiosa ou espiritual, mas sim que seja compreendido o poder que todos temos de direcionar grande parte das decisões da nossa vida através da sabedoria que o Eremita nos convida a explorar.

Durante esta semana recomendamos alguma contenção de despesas pois a energia é um pouco fraca no que diz respeito a entradas de dinheiro, podendo inclusive indicar alguns atrasos na receção de pagamentos pendentes. Se procura investimentos com rápido retorno, é desaconselhado realizá-los no decorrer da semana.

No campo da saúde, o Eremita potência uma energia onde a necessidade de descanso pode ser superior a regular. Problemas de coluna podem surgir no decorrer da semana, bem como questões relacionadas com a visão. Procure cuidar de si, descansar. É uma boa altura para procurar refúgio na Natureza e recarregar baterias.

Ao nível afetivo, o Eremita traz crescimento dentro dos relacionamentos, sendo para isto necessário que estes sejam vividos com desapego e distanciamento saudável.
Assim teremos uma semana desafiante que nos convida a ver a vida por outro ângulo, a observar sem julgar, a cultivar a paciência, a adquirir a capacidade de distanciar para ver em vez de nos deixarmos embrulhar pelas vulneráveis emoções humanas e decidirmos com base em impulsos irrefletidos. É uma excelente altura para progredirmos enquanto pessoas e enquanto almas, permitindo a aquisição da sabedoria necessária promovendo assim uma vida mais completa e feliz.

Que a nossa semana seja preenchida com o melhor!

Um abraço,

Anastácia
Equipa Chave Mística

www.chavemistica.com

Sem comentários:

Enviar um comentário